As fabricantes de bicicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus – PIM deverão produzir 880 mil unidades em 2022. A projeção é da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo, que prevê alta 17,4% na comparação às 749.320 bicicletas que saíram das linhas de montagem no ano passado.

Na avaliação do vice-presidente do Segmento de Bicicletas, Cyro Gazola, o setor deverá retomar gradativamente o ritmo de produção, depois de passar por um ano bastante conturbado. “Além de todo o impacto da pandemia nas linhas de produção, a escassez de peças e componentes travou o ritmo das unidades fabris. Esse problema ainda vai persistir por mais alguns meses, mas acreditamos que em uma intensidade menor”, diz. “Dessa forma, teremos capacidade para atender à demanda que mantém tendência de alta”.

Para atingir a meta estabelecida, as associadas da Abraciclo trabalham em melhorias na infraestrutura e em novas tecnologias nas linhas de produção. Duas fabricantes, por exemplo, anunciaram no fim de 2021 ampliação da capacidade produtiva. Esses investimentos visam atender ao aumento de pessoas que aderiram ao hábito de pedalar na busca por um transporte seguro e uma vida saudável durante a pandemia. Além disso, a bicicleta também passou a ser instrumento de trabalho para os profissionais que atuam nos serviços de entrega.

A constante alta nos preços dos combustíveis também ajuda a impulsionar a procura pelo modal. “Com mais pessoas pedalando, é necessário mais investimentos na melhoria da malha cicloviária para garantir segurança aos ciclistas”, alerta Gazola.

Deixe uma resposta