O nome do empresário Josué Gomes, filho de José Alencar, que foi vice-presidente nos dois governos Lula, voltou às luzes da ribalta política em meio à expectativa sobre o candidato a vice-presidente na eventual chapa encabeçada por Lula. Atualmente Josué Gomes é presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), a maior entidade representativa empresarial brasileira e dono da Coteminas, maior grupo têxtil do país. A notícia foi publicada pela jornalista Bela Megale no jornal O Globo, nesta quarta-feira, (26/01/2022).

            Desde que Lula teve seus direitos políticos restabelecidos, no início de 2021 e seu nome voltou a ser cogitado e figurar como o mais forte para derrotar Bolsonaro, o nome de Josué Gomes sempre apareceu entre os possíveis vices. Em dado momentos, o próprio empresário teve que desmentir publicamente sua intenção de concorrer ao cargo juntamente com Lula. Em 2021 foi eleito presidente da Fiesp, cargo que assumiu nos primeiros dias deste ano.

            Pelos depoimentos públicos que Lula sempre dá sobre o perfil ideal de um possível vice-presidente, o petista sempre “rasga sedas” sobre a “dobradinha” perfeita com o pai de Josué Gomes. “O Zé Alencar foi o melhor vice do mundo”, “foi a dobradinha perfeita entre o capital e o trabalho”, costuma elogiar Lula. Portanto, para os especuladores, a volta do nome de Josué Gomes casa perfeitamente dentro do perfil de Lula e certamente terá menor resistência entre petistas e eleitores do que o nome do ex-governador Geraldo Alckmin, um ex-tucano, com quem Lula já teve alguns embates políticos.

Lula e José Alencar

            Mas isso tudo deve ser resolvido nos dois próximos meses e depende muito mais de Josué Gomes, que teria que resolver a questão da direção da Fiesp e filiar-se a um partido alinhado e disposto a fazer composição com o PT, que pode ser o PSD.  

            E Alckmin como fica nessa história? Pode concorrer ou não ao governo de São Paulo. Mas caso deseje abrir caminho para Fernando Haddad (PT), o Partido dos Trabalhadores terá inúmeros lugares dentro do governo federal à espera do ex-governador.

Deixe uma resposta