Aqueles que apostaram que o PSD e Gilberto Kassab não marchariam junto com Lula ainda no primeiro turno da eleição presidencial de outubro, devem ir refazendo suas apostas. Rumores na política baiana dão conta de que o grupo político que comanda o governo da Bahia, estado há 15 anos sob o comando do Partido dos Trabalhadores, decidiu que o candidato ao governo do Palácio de Ondina, a sede do governo baiano, será o senador Otto Alencar (PSD). Com o PT ficará a disputa à vaga ao Senado, que será disputada pelo atual governador Rui Costa.

Caso a situação se confirme, é tudo o que o ex-presidente Lula poderia desejar de melhor neste momento, no que se refere à Bahia. Ganha um candidato competitivo ao Senado, “amarra” o PSD na tentativa de impedir que o partido de Kassab lance candidatura própria à Presidência da República e também impede que o PSD da Bahia acabe no “colo” do principal concorrente do grupo, o prefeito de Salvador, ACM Neto (União Brasil), que atualmente lidera a corrida pelo Palácio de Ondina.

Na arrumação final, a cabeça de chapa ao governo da Bahia seria de Otto Alencar (PSD), tendo como vice a prefeita de Lauro de Freitas (BA), Moema Gramacho (PT). O governador Rui Costa concorre ao Senado Federal, o que levará o vice-governador João Leão (PP) ao posto de titular do Executivo baiano por nove meses (abril a dezembro). Outra compensação ao PP seria a suplência de Rui no Senado, considerando que ele pode ser ministro em um eventual governo Lula. Lula sempre afirma que trocaria um governador por um senador. Isso já pode ser ‘favas contadas’ na Bahia, o quarto maior colégio eleitoral do país.

Agora a grande pendência com o PSD de Kassab é Minas Gerais, o segundo maior colégio eleitoral. Lá os acertos são com o prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil (PSD) e o presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (PSD), que tem 0,9% na corrida presidencial. Em Minas, Lula lidera com cerca de 37%.

Deixe uma resposta