A pesquisa, intitulada “Investigação dos genótipos e sensibilidade a antifúngicos dos agentes causadores de criptococose no estado do Amazonas”, obteve informações importantes para traçar o perfil epidemiológico de pacientes com criptococose portadores de HIV e em pacientes sem HIV. 

Com o resultado, pode-se observar que o perfil epidemiológico entre os dois grupos são totalmente distintos. Entre os pacientes com HIV, notou-se a predominância de homens jovens, cuja principais representações clínicas foram dor de cabeça, vômito e perda de peso. 

Quando estudados os agentes causadores, foi detectado a predominância do genótipo VN1 do fungo cryptococcus neoformans em 89,4% dos casos. Ao sequenciar os genes, foi descoberto que 97% destes casos eram da linhagem SP-93. 

“Ou seja, nós colocamos o Amazonas no mapa e explicamos qual é a linhagem principal causadora de cryptococcus neoformans aqui, que é semelhante no nosso estado”, disse o pesquisador João Vicente de Souza, coordenador do projeto, durante a apresentação. 

Já nos pacientes sem o vírus do HIV, observou-se a predominância de casos em pacientes do sexo feminino. O principal agente causador neste cenário foi o cryptococcus gattii, sendo o genótipo SP-20 o mais comum. O mesmo genótipo também foi responsável por epidemias nos Estados Unidos e no Canadá. “Esse agente está sendo especial. Quando a gente diz que encontramos, entre 11 pacientes não HIV, quatro casos com esse genótipo, chama atenção”, disse o pesquisador.  

PPSUS – O Programa Pesquisa para o SUS (PPSUS) é uma iniciativa de fomento à pesquisa em saúde nas Unidades Federativas (UF), que promove o desenvolvimento científico e tecnológico, visando atender as peculiaridades e especificidades de cada UF brasileira e contribuir para a redução das desigualdades regionais.

FOTO: Érico Xavier/ Fapeam

Deixe uma resposta