O Escritório de Direitos Humanos da ONU havia contabilizado até quarta-feira, 9 de março, 516 civis mortos na Ucrânia devido ao conflito, incluindo 37 crianças,  além de 908 pessoas feridas. 

Para fugir dessa violência, mais de 2 milhões de ucranianos escaparam do país e buscaram refúgio em nações vizinhas e para auxiliá-los, a Organização Internacional para Migrações, OIM, acaba de anunciar uma parceria com a plataforma Airbnb.  

Habitação gratuita  

A meta é ajudar as famílias que fugiram da Ucrânia e agora estão em busca de abrigo temporário na Polônia, Moldávia, Romênia, Hungria e Eslováquia. Na semana passada, o site Airbnb.org já havia se comprometido em oferecer habitação gratuita e temporária para 100 mil refugiados ucranianos. 

Até o momento, mais de 15 mil anfitriões se registram no Airbnb e estão oferecendo suas casas de forma gratuita ou com um desconto, em vários países. 

A plataforma e a OIM estão incentivando mais pessoas a fazerem o mesmo e oferecem moradia aos refugiados da Ucrânia. A OIM fornece apoio vital aos migrantes ao redor do mundo e com essa parceria, a meta é garantir moradias temporárias nas próximas semanas ou até meses. 

Segurança e aconchego  

Foto: IOM/Konstantin Skomorokh

Idosa em vilarejo afetado pelo conflito na Ucrânia recebe assistência da OIM.


Por meio do Fundo de Refugiados Airbnb.org, os hospédes estão isentos de pagar quaisquer taxas relacionadas com a estadia e em muitos casos, não pagam nem a hospedagem.  

A vice-diretora da OIM, Amy Pope, declarou que “fornecer acomodações seguras, privadas e acessíveis” é de extrema importância. Pope disse ainda que a OIM tem muito orgulho da parceria com o Airbnb, especialmente quando em muitos países o frio continua rigoroso e por isso, a possibilidade de encontrar uma habitaçã quente e segura tem um impacto no bem-estar físico e mental das pessoas que estão fugindo da Ucrânia.  

As equipes da OIM estão no terreno, ajudando autoridades da Ucrânia e dos países vizinhos a responder às enormes necessidades das pessoas que fugiram do país. A agência da ONU faz avaliação de riscos, para evitar tráfico humano, garantir proteção das crianças e ajudar idosos, feridos e doentes. 

Até o dia 4 de março, nacionais de 138 países que estavam na Ucrânia cruzaram as fronteiras com as nações vizinhas e segundo a OIM, a maioria saiu apenas com a roupa do corpo e pequenas malas com itens essenciais, como documentos.  

A parceria entre OIM e Airbnb não é nova: nos últimos cinco anos, as entidades ajudaram 54 mil pessoas que estavam fugindo de conflitos no Afeganistão, na Síria e na Venezuela.  

Deixe uma resposta