‘É indiferente. Meu candidato é o Lula’, disse nesta segunda-feira (14/03) o senador Omar Aziz (PSD/AM) em meio à discussão sobre a possível candidatura do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, cujo projeto seria trocar seu partido atual, o PSDB pelo PSD de Gilberto Kassab e ser candidato à Presidência da República. Essa é a segunda tentativa de Kassab de emplacar um candidato à Presidência. O primeiro foi o presidente do Senado Rodrigo Pacheco (PSD/MG) que já jogou a toalha após sua candidatura não passar de 1% das intenções de votos a seis meses da eleição.

Lula quer Kassab ao seu lado para ajudar a faturar a Presidência ainda no primeiro turno. Mas se ocorrer, Kassab deseja vender caro a adesão. No entanto, Lula vem “comendo pela beirada”. Na Bahia, após 15 anos de governos petistas, abriu mão da candidatura do senador Jaques Wagner (PT/BA) em prol da candidatura do também senador Otto Alencar (PSD/BA). O PSD tem 11 senadores atualmente. Um número muito interessante para Lula ter um Congresso Nacional ao seu lado em eventual terceiro mandato.

Entre senadores do PSD a avaliação é de que se perdeu muito tempo com o projeto “Rodrigo Pacheco” e que a eventual candidatura de Eduardo Leite também naufragará e o barco do petista está a todo vapor. Omar Aziz sabe disso. Por isso a clara frase: ‘É indiferente. Meu candidato é o Lula’. Semana passada, ao voltar de sua viagem ao México, Lula parou em Manaus e reuniu com lideranças partidárias, entre elas o senador Aziz. Além dos senadores Otto Alencar e Omar Aziz, Lula ainda deve fechar o maior apoio que será com o prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil.

Melhor amigos de Lula no Maranhão

No PDT uma banda também está na torcida para que Ciro Gomes “jogue a toalha”. Chegaram a dar um ultimato: caso o ex-governador cearense não atingisse 10% até o carnaval, abandonariam a sua candidatura e embarcariam no bloco de Lula. Ciro continua a patinar na casa dos 7%.

Em busca de viabilizar sua candidatura ao governo do Maranhão, o senador Weverton Rocha (PDT/MA) chegou a se autoproclamar como o melhor amigo de Lula no Maranhão e quer ter Lula ao seu lado, ainda que tenha que dividir a presença do petista com o grupo do PT e dos liderados pelo governador Flávio Dino (PSB).

Renan pai e Renan Filho querem Lula

No MDB, a senadora Simonte Tebet (MDB-MS) continua buscando viabilizar sua candidatura. Mas também não passa de 1% nas intenções de votos. E ainda que continue como candidata, lideranças do MDB, principalmente no Nordeste não ficarão ao seu lado.

Em Alagoas, por exemplo, o governador Renan Filho (MDB) já fez foto e “tudo” com Lula, ao lado do pai, o senador Renan Calheiros (MDB/AL). No estado Renan Filho lidera para o senador e Lula para presidente da República. Lula quer os dois como aliados.

Na Rede só falto o abraço Lula x Marina

Na Rede Sustentabilidade os últimos avanços em direção ao ex-presidente petista foi o senador Randolfe Rodrigues (Rede/AP) aceitar ser um dos coordenadores da campanha de Lula e os acertos com o PSOL para formação de uma federação partidária.

Outro sinal de que a Rede Sustentabilidade não se sustentará longe da campanha de Lula foi emitido bem antes das movimentações de Randolfe. Ainda no ano passado o senador Fabiano Contarato (PT/ES) deixou a Rede e em fevereiro deste ano se filiou ao PT. Agora, os dois senadores eleitos pela Rede em 2018, um está no PT e outro é coordenador de campanha de Lula. Por tudo isso, agora só falta a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva abraçar Lula. O resto está acertado.

Franco Silva – Do lago do Sapucuá (Amazônia)

One thought on “Lula implode terceira via. Partes de PDT, MDB, PSD e Rede já fecharam com ex-presidente”

Deixe uma resposta