Na preparação da maior regata global, Cabo Verde quer a presença do secretário-geral da ONU no evento previsto para janeiro de 2023. Considerada a mais antiga competição de vela, a Ocean Race comemora 50 anos.

As declarações foram feitas na quarta-feira à ONU News, em Nova Iorque, pelo Ministro do Estado, da Família, Inclusão e Desenvolvimento Social. Fernando Elísio Freire falou antes de se reunir com o chefe das Nações Unidas.

Competição

“Vamos aproveitar a oportunidade para reforçar um convite que o nosso primeiro-ministro já tinha feito ao secretário-geral das Nações Unidas para visitar Cabo Verde, no momento em que achar mais conveniente e que sua agenda permitir, mas especialmente para estar lá conosco quando passar o Ocean Race, a maior competição de regata do mundo. Passará pela Ilha de São Vicente, em Cabo Verde, e nós gostaríamos de ter a presença do secretário-geral.”

Por cinco dias, Cabo Verde será a nova paragem do circuito por uma nação da África Ocidental.

A presença dos participantes no Mindelo, na Ilha de São Vicente, será a segunda na região africana. A volta ao mundo envolve 32 mil milhas náuticas ou 52 mil quilômetros.

Economia verde e azul

O ministro reafirmou a intenção do país de ser líder global nos campos das economias verde e azul, na mesma direção que a aposta no combate às alterações climáticas e em inovações na vertente digital.

Na retomada da economia, o turismo é considerado um pilar estratégico para Cabo Verde. Para uma recuperação sustentável do setor, uma das prioridades foi garantir o acesso às vacinas contra a Covid-19, que ajudou a criar um “ambiente sanitário credível e seguro”.

Elísio Freire destacou que o contato com o secretário-geral fortaleceu o alinhamento das duas partes em relação à promoção de direitos humanos e à priorização da credibilidade, da confiança, da democracia e das liberdades em Cabo Verde.

Deixe uma resposta