Pesquisa Quaest/Genial para as eleições 2022 em Minas Gerais, divulgada nesta sexta-feira (18/3), mostra que a disputa ao governo do Estado pode ser definida pelas alianças aos candidatos para a presidência da República. Caso o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), feche aliança com o ex-presidente Lula (PT), se as eleições fossem hoje, Kalil teria 49% contra 35% do atual governador Romeu Zema (Novo).

Em cenário sem o apoio de Lula, o resultado se inverteria. Zema ficaria com 34% e Kalil 21%. No levantamento, 12% responderam que não pretendem votar e 11% estão indecisos, o que pode mudar o atual cenário até outubro. 

Metodologia

A pesquisa foi realizada entre os dias 11 e 16 de março, com 1.480 residentes de Minas Gerais entrevistados face-a-face por meio de questionários estruturados. A margem de erro estimada é de 2.5 pontos percentuais para mais ou para menos, com um nível de confiança de 95%. A pesquisa está registrada junto à Justiça Eleitoral sob o protocolo MG-00132/2022.

Lula prepara xeque-mate em Kassab

A pesquisa Quaest/Genial coloca mais pressão sobre o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, a quem Lula deseja o apoio ainda no primeiro turno das eleições. Mas que insiste em ficar fora da aliança do petista. Lula é muito forte no interior mineiro, tem em torno de 45% das intenções de votos, justamente onde Kalil apresenta maior fragilidade eleitoral, por ser menos conhecido.

Kalil deve deixar a prefeitura de Belo Horizonte dia 25 deste mês de março. Lula só está esperando a data para conversar com o prefeito.

“Eu pretendo, efetivamente, conversar com o Kalil. Eu estou com todo o respeito institucional, porque estou esperando ver se o Kalil é candidato, ele tem que se afastar da prefeitura. Quando o Kalil se afastar da prefeitura, aí sim, eu pretendo conversar com ele e estabelecer a possibilidade de construir uma aliança política”, sempre declara o ex-presidente quando perguntado sobre o assunto.

Kalil, por sua vez também joga confete sobre a eventual aliança. “Será um prazer conversar com todo mundo, principalmente o presidente Lula, que está liderando as pesquisas e tem um histórico social muito claro”, disse nesta sexta-feira (15/03), durante visita a um centro de saúde em Belo Horizonte. 

Lula quer um senador

Outra pesquisa divulgada nesta terça-feira, desta vez do instituto Real Time Big Data, além de confirma a pesquisa petista, nela Zema aparece com 40% e Kalil com 23%, eleva o poder de barganha petista. O deputado federal Reginaldo Lopes (PT/MG), nome de Lula para disputar a única vaga no Senado, aparece na frente das intenções de votos com 13% e o segundo colocado, o ex-ministro do Turismo Marcelo Alvaro (União Brasil) ficou com 6%.

O resultado aumenta a pressão, não a Kalil, que já busca a companhia de Lula, mas sobre Kassab, que ainda insiste que seu partido tenha candidato à Presidência da
República. Agora a negociação é com o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), que mudaria para o PSD.

No entanto já há rumores de que, caso Kassab insista em lançar candidato à Presidência da República, Kalil mudaria para o PSB para fechar com Lula. Para Lula o interesse maior, no caso de Minas Gerais, é eleger Reginaldo Lopes para o Senado Federal, além é claro, dos votos que Kalil eventualmente possa trazer à sua candidatura.

Deixe uma resposta