O coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos (PSOL), anunciou nesta segunda-feira (21/03) que será candidato a deputado federal nas eleições deste ano e não mais candidato ao governo de São Paulo. A decisão fortalece a campanha do ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad e o futuro Congresso Nacional, um pedido do ex-presidente Lula, na busca de eleger o maior número de deputados e senadores progressistas.

 “Tomei a decisão de ser candidato a Deputado Federal por uma razão: ajudar a construir uma grande Bancada de Esquerda no Congresso. Hoje o Centrão governa o Brasil. Precisamos ter força para a Reforma Trabalhista, o Teto de Gastos e aprovar mudanças populares”, escreveu o candidato nas redes sociais.

“Já vamos preparando o Celtinha! (seu carro) Se tudo der certo, dia 1º de janeiro de 2023 estaciono ele em frente à Câmara dos Deputados e vou andando até o Planalto assistir a posse do Lula. Vamos nessa? Complementou brincando o líder do MTST.

Com a decisão a tendência é que grande maioria dos votos de Boulos vá para o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, que lidera atualmente as pesquisas de intenções de votos.

Veja a nota do PSOL sobre a desistência de Boulos

O ex-candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PSOL, Guilherme Boulos, anunciou nesta segunda-feira (21) a retirada de sua pré-candidatura ao governo paulista e buscará uma vaga na Câmara dos Deputados nas eleições gerais de 2022.

A direção estadual do PSOL em São Paulo trabalhará nas próximas semanas para construir uma alternativa de esquerda para as eleições do governo do estado.

“A unidade da esquerda só pode se viabilizar se vier acompanhada de uma base programática sólida, que permita projetar um governo de esquerda sem alianças com partidos de direita e do centrão para reconstruir SP pelas mãos dos movimentos sociais e para cumprir com as necessidades mais emergentes do povo trabalhador. A unidade também não poderá ser uma via de mão única”, diz trecho da nota divulgada pela direção paulista do PSOL.

Leia a nota da Executiva Estadual do PSOL SP na íntegra:

Guilherme Boulos não é mais pré-candidato ao governo de São Paulo. Com a caravana Virada Paulista, discutimos uma alternativa programática com milhares de pessoas por todo o estado com destaque para o combate às desigualdades e a todas formas de opressão como o machismo, racismo e LGBTfobia; as estratégias para o desenvolvimento com geração de emprego e renda; transformar SP em uma referência em proteção ambiental e moradia popular; valorizar os servidores públicos e investir na educação e na saúde públicas; além de mudança da política de segurança pública marcada pelo racismo e criminalização da pobreza.

Seguimos com a missão de defender estas e outras bandeiras junto ao povo trabalhador de São Paulo.

Guilherme Boulos agora vai assumir um novo desafio: o de ser pré-candidato a deputado federal pelo PSOL em São Paulo. Esta decisão coloca o partido em outra condição para ultrapassar a cláusula de barreira e projetar lideranças de esquerda e movimentos sociais no Congresso Nacional, uma tarefa importante dos nossos tempos.

O PSOL abrirá o debate interno para decidir sua posição em relação ao governo de SP.
Nos guiamos pela luta para derrotar Bolsonaro, o bolsonarismo e o tucanato que domina São Paulo há décadas. A partir disso, nos propomos a colaborar com uma alternativa de esquerda para São Paulo.

Por isso, defendemos a unidade da esquerda. Caberá ao Diretório Estadual conduzir o diálogo com os partidos de esquerda antes de decidir nossa tática sobre a disputa em SP, levando em conta que a unidade da Esquerda só pode se viabilizar se vier acompanhada de uma base programática sólida, que permita projetar um governo de esquerda sem alianças com partidos de direita e do centrão para reconstruir SP pelas mãos dos movimentos sociais e para cumprir com as necessidades mais emergentes do povo trabalhador. A unidade também não poderá ser uma via de mão única.

A evolução do diálogo com os partidos e junto à nossa militância dará base à nossa decisão futura.

21 de março de 2022
Executiva Estadual do PSOL SP

Deixe uma resposta