Pesquisa Ipespe, contratada pela XP Investimentos e divulgada nesta sexta-feira (25/03), aponta que, entre os evangélicos, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) também já vence o presidente Jair Bolsonaro.  Em 15 dias Lula cresceu de 33% para 39%. Bolsonaro caiu de 37% para 34%. Até o final de fevereiro, segundo o Ipespe, Bolsonaro tinha ampla vantagem sobre Lula. 40% para Bolsonaro a 29% para Lula. Mas nos últimos dias, o petista fez a reviravolta e agora vence nos extratos da população em todas as religiões. Entre os católicos, Lula tem 44% e Bolsonaro 25%. Entre pessoas que disseram participar de outras religiões, o petista vai para 50% contra 20% de Jair Bolsonaro.

No computo geral, Lula aumentou a liderança da corrida presidencial de outubro para 44% das intenções de voto. Na pesquisa de 11 de março, Lula pontuou com 43%. Já Bolsonaro (PL) caiu 2% em relação há 14 dias. Em 11 de março, Bolsonaro tinha 28%, agora tem 26%.

Na sequência da pesquisa divulgada nesta sexta-feira vem o ex-juiz Sergio Moro (Podemos) com 9%, o ex-ministros Ciro Gomes (PDT) 7%, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB) com 2%, a senadora Simone Tebet (MDB), o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), e o deputado federal André Janones (Avante) e Felipe D’Ávila pontuaram com 1%.

Lula foi o melhor presidente e Bolsonaro o pior

Ao avaliarem os principais candidatos à Presidência da República, eleitores brasileiros apontaram que Lula (PT), quando foi presidente, teve a melhor atuação. Jair Bolsonaro (PL), na mesma função, tem o pior desempenho. Os resultados são da pesquisa Ipespe desta sexta-feira (25/03).

Ao todo, Lula registrou 58% de avaliações positivas ao seu desempenho como presidente, cargo que ocupou entre 2003 e 2010. Só 25% apontaram reprovação à sua atuação e 16% indicaram uma avaliação regular.

Bolsonaro, por sua vez, é avaliado negativamente por 54% dos eleitores. A pergunta focou apenas no mandato do político como presidente, cargo para o qual foi eleito em 2018. Sua atuação como deputado não foi monitorada. O ex-capitão só é tido como um bom presidente por 26% dos entrevistados e é visto de forma regular por outros 19%. O levantamento XP/Ipespe ouviu 1.000 eleitores maiores de 16 anos, de 21 a 23 de março de 2022, por telefone. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais, para mais ou para menos, com intervalo de confiança de 95%. A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o nº BBR-04222/2022. Segundo o TSE, o custo do estudo foi de R$ 42.000,00, valor pago pela XP Investimentos.


Deixe uma resposta