Desde janeiro, Paulo Coelho, escritor de “O Mago” tomou posição ao lado do ex-presidente Lula, a quem chamou de “Guerreiro da Luz”, contra integrantes da operação Lava Jato e contra o ex-juiz Sergio Moro, classificando-os como despreparados.

“Um guerreiro da luz só combate rivais com a mesma força que ele. Portanto, @LulaOficial, não fica batendo boca com candidatos despreparados.”, postou no Twitter Paulo Coelho, na sexta-feira (21/01/22), para apoiar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a possibilidade de não comparecer aos tradicionais debates promovidos pelos grandes meios de comunicação, especialmente as grandes redes de televisão.

O escritor reconhecido mundialmente ainda classificou o ex-juiz Sergio Moro como um candidato medíocre, com quem  Lula não deveria debater. Lula só deve dialogar “com rivais com a mesma força que ele”, dispensando, assim, bate-boca desnecessário”, pontuou o escritor de “O Mago”.

O último embate entre o ex-presidente petista e o ex-juiz aconteceu depois que Lula chamou Sergio Moro de canalha durante uma entrevista coletiva na quarta-feira (19/01) e o ex-juiz retrucou.

Dia 23 de março após a Quarta Turma do STJ (Superior Tribunal de Justiça) determinar que o ex-procurador da República Deltan Dallagnol indenize Lula por danos morais devido à apresentação do PowerPoint para denunciar Lula, ligando o petista a diversas situações e pessoas nas investigações da Lava Jato, o escritor voltou a usar sua “bazuca”.

Em seu perfil no Twitter, o escritor apontou que, na ocasião em que apresentou o PowerPoint, Deltan não tinha “algo” concreto para apresentar contra o petista, e mando o ex-procurador pagar logo o valor ao ex-presidente.

“Só usa PowerPoint quem não tem power (poder) nem point (algo para apresentar). Paga logo o Lula, Dental!”, provocou Paulo Coelho.

Deltan Dallagnol, foi condenado a indenizar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em R$ 75 mil pela apresentação de um PowerPoint que apontava o petista como mandante de um esquema de corrupção, em 2016, no âmbito da Operação Lava Jato.

Deixe uma resposta