“Agora é Lula ou continuará piorando”. A frase poderia ser de um petista radical, roxo, doente, sadio, um petralha. Mas é do ex-ministro da Educação do governo Bolsonaro, Abraham Weintraub. A frase completa, “Bolsonaro transformou o sonho em pesadelo. Agora é Lula ou continuará piorando”,  um desabafo em áudio que circula nas redes sociais desde a quinta-feira (7/4) demonstra o grau de insatisfação que atinge praticamente toda a sociedade brasileira, resultado do ócio e da incapacidade de Jair Bolsonaro e seu governo frete à gestão da Presidência da República.

Weintraub, considerado um intelectual da extrema-direita continuou: “Historicamente, o segundo mandato de um presidente costuma ser pior do que o primeiro, não é no Brasil, é no mundo inteiro. Um segundo mandato do presidente Bolsonaro, mais fraco do que o atual, vai ser um horror. Então hoje, eu vejo isso, o melhor cenário é ruim, e a gente tem que se preparar para a resistência”, declara.

Porém, o recado das últimas pesquisas “dizem” não só ao ex-ministro, agora agoniado com os resultados e os rumos do governo que ajudou a construir. Mas também aos petistas/lulistas que estão contando os dias ( faltam 174 dias) para apertar o 1 e o 3 na ‘maquininha’ eletrônica dizem: Fica frio Weintraub, vamos te tirar dessa enrascada de ter que enfrentar mais quatro anos com Bolsonaro. Lula será eleito ainda no dia 2 de outubro.

São muitos fatores a favor de Lula e contra Bolsonaro e o primeiro é o alto nível de rejeição do presidente. 61% afirmaram na última pesquisa Genial/Quaest que não votam em Bolsonaro de jeito nenhum. Alguém com esse nível de rejeição nunca será eleito. A rejeição a Lula é de 42%.

30% dos que dizem votar em Bolsonaro dizem que podem mudar seu voto (69% dizem que sua decisão é definitiva). Nesse quesito os possíveis eleitores de Lula estão mais firmes, apenas 23% dizem que podem mudar de opinião (76% dizem que sua decisão é definitiva). 

Agora a parte mais difícil para Bolsonaro: O brasileiro está em desespero com o ataque da inflação corroendo seus bolsos e tirando o sono de milhões. Quando perguntado sobre “como ficou sua capacidade de pagar as próprias contas nos últimos três meses”, 59% disseram que ficou pior. Em janeiro eram 51%.

O levantamento também quis saber como os entrevistados têm visto ou tem ouvido falar sobre o preço dos produtos. Para 98% os preços aumentaram, para 62% a economia piorou no governo Bolsonaro e para 74% os preços de produtos vão aumentar nos próximos meses.

Para agravar a situação de Bolsonaro, o tema corrupção que seria o principal assunto que bolsonaristas pretendiam explorar contra Lula, agora é mais associado ao governo Bolsonaro do que a Lula e ao PT.

Por tudo isso, Weintraub, fica frio: Lula será o próximo presidente da República.

Franco Silva: Direto do lago Sapucuá (Amazônia)

Deixe uma resposta