O ex-presidente Lula (PT) está reunido na noite desta segunda-feira (11/04), em Brasília, com lideranças do MDB. No cardápio político, senadores do partido devem afinar estratégia para demover a senadora Simone Tebet (MDB/MS) de concorrer à presidência da República. Por lá o pensamento dos caciques emedebistas é que: se vai de Lula ou ao suicídio político.

Aos jornalistas, os dois principais articuladores do encontro, o senador Renan Calheiros (MDB/AL) e o ex-senador Eunício de Oliveira (CE) desconversaram sobre o pensamento do grupo. Mas entre os que sentaram à mesa para o jantar com Lula, nenhum é favorável que Tebet continue com a sua pré-candidatura. O grupo não deseja repetir o erro das eleições de 2018, quando o MDB concorreu com Henrique Meirelles e viu metade de sua bancada no Congresso ser subtraída no pleito.

“Há uma tendência natural” de o MDB não ir “mais uma vez para um suicídio político. Nós fomos de [Henrique] Meirelles [em 2018] quando nós sabíamos que ele não tinha a menor condição eleitoral. Eu, como incentivador das mulheres na política, gostaria muito que ela (Simone Tebet) tivesse viabilidade política-eleitoral. Nós encurtamos a bancada em quase 50% com uma candidatura que nasceu já natimorta [a de Meirelles em 2018]. Apareceu e terminou com 1,2% no final das eleições”, disse Eunício.

O senador Renan Calheiros disse que Simone Tebet é “uma grande parlamentar”, mas que, se não houver uma mudança nos resultados das pesquisas eleitorais, acredita que ela própria “vai tomar a iniciativa de levar o partido a não ter candidato na eleição presidencial”.

Sobre uma candidatura da chamada terceira via, Renan disse que “somar quem tem 1% com quem tem 2% não vai alterar a fotografia das pesquisas eleitorais. É somar nada com pouca coisa”, disse Renan.

Embora desejem transparecer que não se trata de uma articulação contra Tebet, a verdade que o MDB está rachado. “Para fazer o enfrentamento do Bolsonaro tem que ser com a candidatura do Lula. Não tem nada em segredo. Temos 14 diretórios cujas lideranças preferirão Lula, lideranças que têm projeto de poder estadual, têm governo, têm prefeituras de capitais e têm uma grande quantidade de prefeituras nos municípios”, afirmou Renan em reportagem à revista Veja.

Presentes ao Jantar

Além de Renan Calheiros, Eunício de Oliveira e Lula, compareceram ao jantar  na casa de Eunício a deputada federal e presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann; Paulo Teixeira – deputado e secretário-geral do PT, Paulo Rocha – senador pelo PT do PA, Rogério Carvalho – senador pelo PT do SE, Fabiano Contarato – senador pelo PT do ES, Humberto Costa – senador pelo PT de PE, Jean Paul Prates – senador pelo PT do RN, Paulo Paim – senador pelo PT do RS, Wellington Dias – ex-governador do Piauí, Aloizio Mercadante – presidente da Fundação Perseu Abramo, Marcelo Castro – senador pelo MDB do PI, Rose de Freitas – senadora pelo MDB do ES, Nilda Gondim – senadora pelo MDB da PB, Otto Alencar – senador pelo PSD da BA, Veneziano Vital do Rêgo – senador pelo MDB da PB, Garibaldi Alves Filho – ex-senador pelo MDB do RN, Omar Aziz – senador pelo PSD do AM, Randolfe Rodrigues – senador pela Rede do AP, Sarney Filho – secretário do Meio Ambiente do DF.

Deixe uma resposta