Em Brasília, aonde chegou nesta quarta-feira (27.04.22), e ficou hospedado em um hotel na Esplanada dos Ministérios, a poucos metros do Palácio do Planalto, o ex-presidente Lula o ex-presidente Lula (PT) cumprir forte agenda com lideranças do PT, PDT  e PSD. Também  tentou falar com o petista Maria de Jesus Oliveira, a Tia Zélia, dona de restaurante sempre elogiado pelo ex-presidente.

“Mandei uma marmita para ele de carne assada e purê de batatas. Amanhã vou fazer uma rabada para ele e vou fazer os ovos”, disse ela ao site Poder 360.

Lula está em Brasília para afinar sua campanha à Presidência da República com fortalecimento de relações com políticos do PDT, PSD, Rede Sustentabilidade e ajustar palanques regionais.

Nesta quinta-feira, encontra-se com representantes da Rede e participa de evento do PSB, principal partido que o apoia nas eleições de 2022. Mas Lula centra grandes esforços em articulações de alianças estaduais como Pernambuco e Minas Gerais, na tentativa de atrair o PSD de Gilberto Kassab para seu lado ainda no primeiro turno da eleição.

Esperança com o PSD


 “Eu tenho a esperança de trazer o PSD ainda para o primeiro turno. Para mim, pode ser o delta que ainda falta para fortalecer nossa campanha”, disse o deputado federal José Guimarães (PT-CE), um dos coordenadores da pré-campanha, ao sair de reunião com Lula.

Nesta quarta, Lula conversou com petistas e também com os irmãos Nelson (senador pelo PDT/ MS) e Fábio Trad (deputado federal pelo PSD/MS).

O PT, segundo Guimarães, quer saber do que o PSD gostaria para avançar nessas negociações. Kassab é um hábil negociador. Sabe que Lula precisa de pouco para se eleger presidente da República no primeiro turno na eleição e quer vender caro o apoio.

Em Pernambuco, Kassab quer emplacar o candidato ao Senado em chapa encabeçada pelo PSB. Na Bahia, em chapa encabeçada pelo PT, o PSD já emplacou o candidato à reeleição, senador Otto Alencar (PSD/BA).

Mas a grande negociação com o PSD deve acontecer em Minas Gerais, onde Lula chega dia 9 de maio. Em Minas, Lula lidera com grande folga as pesquisas de intenção de votos e o candidato do PSD ao governo, o ex-prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, quando tem o nome colado ao de Lula, chega a superar o seu principal eventual concorrente, o governador Romeu Zema, que tenta a reeleição. Sem Lula, Kalil fica bem atrás de Zema.

O problema em Minas Gerais para PT-PSD fecharem aliança é que o PT tem o deputado federal Reginaldo Lopes liderando as pesquisa para o Senado e o PSD tem o senador Alexandre Silveira que busca a reeleição. Até agora, nem PT, nem PSD falam em abrir das suas candidaturas. Mas pensam em aliança Lula-Kalil até com os dois candidatos ao Senado no páreo.

Um jogo de paciência, mas um apoio de grande importância para Lula. Minas é o segundo maior colégio eleitoral brasileiro. Por isso o deputado José Guimarães quer saber “do que o PSD gostaria para avançar nessas negociações”.

Deixe uma resposta