Durante discurso na cidade mineira de Juiz de Fora, nesta quarta-feira (11.05.22), o ex-presidente Lula (PT) afirmou que, caso eleito presidente da República, vai trabalhar com objetivo de fazer o Brasil crescer em quatro anos o que cresceria em 40 anos. O petista também afirmou que trabalhará para fortalecimento da educação e o fim de precarização do trabalho com objetivo de que o empresariado volte a assinar carteiras de trabalho e também fortalecer o setor industrial brasileiro. Em território mineiro, Lula levou a plateia ao delírio devido ao projeto ser similar ao do ex-presidente mineiro Juscelino Kubitscheck, cujo tema era fazer 50 anos em cinco.  

A Volkswagen chegou ao Brasil durante do governo de Juscelino Kubitscheck

“O salário do povo está proporcionalmente menor. Ninguém consegue encher o tanque. Tiramos produtos do carrinho porque não dá pra pagar. Metade da inflação é por preços controlados pelo governo. O presidente é um fanfarrão. Não dá entrevista, fala só em lives para o público dele”.

“Nosso povo vai voltar a trabalhar, voltar a ter carteira de trabalho assinada. Se quiser ser empreendedor, vai ganhar para montar seu negócio. Esse país não quer eternizar empregos de aplicativos que as pessoas não conhecem o patrão, não tem direito às férias”, disse.

Povo vai dar golpe em Bolsonaro

No encontro, Lula aumentou o tom e alfinetou o presidente Jair Bolsonaro. “Bolsonaro fala em golpe todo o dia. A imprensa fala em golpe. E ele vai ver o golpe que ele vai sofrer no dia 2 de outubro. O povo vai dar um golpe no autoritarismo dele e vai reestabelecer a democracia nesse país. Vai ser o primeiro golpe democrático e popular. Golpe sem fuzil, sem metralhadora. É um golpe da eleição democrática”.  

“Ele está dizendo que a urna vai praticar roubo. Sabe por que eu confio na urna? Porque se pudesse roubar na urna eletrônica, o torneiro mecânico não teria sido presidente da República duas vezes”, afirmou.

Deixe uma resposta